terça-feira, 29 de julho de 2014

Por que o movimento ágil falhou...





Tenho batido muito na galera dos métodos e práticas ágeis. Na verdade, já estou usando até soco inglês com pontas envenenadas... Mas isso não quer dizer que eu seja contra o, assim chamado, "movimento ágil".




Eu sou contra os conversas fiadas que estão tomando conta desse movimento, pois sua falta de visão leva a resultados desastrosos, como o da foto.

Vou explicar aqui o que me incomoda nessa baboseira toda...

O que me inspirou a escrever isso foi o excelente post de Mike Hadlow: "Coconut Headphones: Why Agile Has Failed", no qual ele explica com precisão o que está acontecendo com o movimento ágil atualmente.

Buzzword

É exatamente isso! A palavra "ágil", no contexto de TI, virou uma buzzword, significando kanbans e planning poker. E virou plataforma para vender de tudo: Seminários de "bullshit", Treinamentos caozeiros, Consultorias 171 e até ferramentas ágeis!

O que está acontecendo com o movimento ágil é o que houve com a "febre do processo unificado", há uns 10 anos. Naquela época, toda conversa de TI terminava em "...UP", lembra disso? Tudo era baseado eu RUP!

Teve até empresa criando processo de desenvolvimento chamado "PUP"... Só que "poop", em inglês, significa "cocô"!

Os desenvolvedores, cansados desses conversas fiadas, resolveram escrever o "Manifesto ágil" exatamente para combater a burocracia desnecessária, criada por esses "processos" e suas ferramentas.

Foram ignorados solenemente, até que os marketeiros descobriram que isso seria um novo filão. Só havia um problema: o que vender? Sim, pois o movimento ágil é mais fluídico e não tinha nada "vendável".

Então, pegaram várias práticas usadas por desenvolvedores, e, sem julgar o valor, criaram um "amálgama" e chamaram de "método ágil" ou "prática ágil".

Se você tentar lembrar, verá que há uns 10 anos, "ágil" era sinônimo de XP, "Extreme programming", uma disciplina essencialmente técnica.

O próprio Scrum era apenas uma maneira de organizar equipes...

Kanban era um meio de organizar fluxo de trabalho, e Planning Poker era uma maneira de desempatar estimativas.

Hoje, temos "Papas" ágeis, que viajam o mundo ensinando "métodos ágris", sem ter desenvolvido um só programa aplicativo...

Vemos ferramentas de desenvolvimento, que antes eram todas baseadas em RUP, virarem "ágeis" da noite para o dia...

Isso não te diz nada?

O que eles não querem dizer, eu vou: a maior parte disso é caô, "bullshit", ou seja lá como você preferir!

Métodos ágeis não se aplicam a todos os projetos, assim como esse subconjunto de práticas que estão sendo popularizadas.

Quem vende adoção de métodos ágeis, sem investimento em capacitação técnica e reformulação de plataforma, é caozeiro!

Pense nisso!