Eu devo ter jogado pedras na cruz... Só isso mesmo para me colocar sempre diante de amadores!
A bronca agora, é pela quantidade imensa de besteiras que eu tenho visto, sendo apresentadas como "produtos"!

Diante da evolução da tecnologia, qualquer idiota consegue reunir, em pouco tempo, recursos antes impensáveis. E, com algum "malabarismo" tecnológico, cria um Frankenstein, o qual apresenta como "produto".



Eu aprendi com meus Mestres (do grande IBMEC) o que é um produto, e o que é apenas desperdício de tempo e dinheiro. E costumava ensinar isso aos meus alunos, sempre que possível.
Hoje em dia, você tem vários recursos "as a service", inclusive de uso inicial gratuito, que lhe permitem rapidamente prototipar e até mesmo publicar aplicações e serviços derivados. É possível juntar uma impressionante coleção de recursos, ferramentas e tecnologias, em pouquíssimo tempo.
Por isso, "aventureiros" digitais estão sempre "caçando" incautos, apresentando seus "amálgamas" tecnológicos como produtos inovadores, dignos de Startups do Vale do Silício.
O que eles não apresentam, são as letrinhas miudinhas: Qual é o ROI? Quando se espera o breakeven? Quais são os riscos? Qual é o custo real?
Todo produto deve ter um planejamento mínimo, que contenha, pelo menos, três coisas:
  • Qual é o mercado para ele? Quem são os interessados, quais são as expectativas de comercialização?
  • Quanto custa produza-lo? Sim. Não basta juntar amálgamas, baseados em contas gratuitas. É preciso considerar todos os custos, incluindo o tempo de desenvolvimento, marketing etc;
  • Quais são os riscos? Este é o fator mais ignorado pelos "malabaristas" tecnológicos. E realmente ficam irritados, quando você toca no assunto;
É claro que não bastam essas três coisas, porém, se você tiver feito seu "dever de casa", então as estudou detalhadamente, a partir de fontes confiáveis, antes de seguir em frente. Se não o fez, lamento muito, mas você é um idiota.
Qualquer um pode criar PowerPoints, com lindos gráficos, animações e até vídeos. E qualquer um pode criar um protótipo maravilhoso, cheio de funcionalidades, de um dia para o outro.
Ora, baralho, se qualquer um pode fazer isso, então pode apostar que outras pessoas também estão apresentando "produtos" similares ao que você está fazendo (ou assistindo). Se todos podem fazer, então é necessário um diferencial, que pode estar, justamente, em um bom modelo de negócios, incluindo uma política de comercialização bem ajustada.
Juntar um bando de técnicos e dizer que eles criaram um "produto", é a mesma coisa que pedir a um mecânico para criar um carro. Ele pode até montar o carro, mas tenha certeza que sairá mais caro, mais arriscado e terá menos mercado que os carros produzidos pelas montadoras.
Isso é amadorismo, em nível épico!
Volta pro Sebrae... E correndo!