segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Japonês em Braile...


Qualidade de software é assunto para engenheiros de software, ou seja: programadores! Porém, vemos diversos profissionais trabalhando em tarefas de garantia de qualidade de software, que não conhecem ou não querem se envolver com software. Trabalhar com qualidade de software sem ser engenheiro de software é a mesma coisa que aprender Japonês em Braile, como diria Djavan!

Outro dia, em uma empresa que não quero dizer o nome, eu estava conversando sobre avaliação de código-fonte. Eu dizia que todo projeto deveria ser avaliado continuamente, e o responsável pela qualidade de software deveria tomar ciência da situação. Para meu espanto, ouvi que o pessoal de qualidade de software não tem capacidade para isto, pois são pessoas que não trabalham com desenvolvimento!!!!
comoassim!?!?

Como você pode trabalhar com qualidade de software, se você não sabe criar software? Aliás, a proliferação de pessoas sem conhecimento que trabalham na área de TI é muito grande... Para mim, quem trabalha com TI deve conhecer os três pilares da sabedoria infinita:


Algoritmos e programação
Arquitetura e organização de computadores
Redes e Telemática

Me desculpe, mas se você não conhece estes três pilares, não é um profissional de informática!

Como alguém que não programa pode avaliar qualidade de software? Concordo que alguns aspectos podem ser avaliados por pessoas que não são profissionais de informatica, por exemplo: "usabilidade", mas como avaliar "manutenibilidade"? 

Na verdade, o que estas pessoas fazem é avaliar se o "processo" de desenvolvimento está sendo seguido, ou seja, se todos os artefatos (documentos) foram preenchidos. Nem mesmo o conteúdo é avaliado (nesta determinada empresa, em particular!)

Mas existem coisas piores, como gerentes de projeto que não conhecem programação... Na verdade, usam o cargo para trabalhar com TI sem terem que estudar para isto! Não concorda? Então tente gerenciar a construção de um prédio, sem ser Engenheiro Civil! É claro que não dá! 

Eu gostaria de iniciar um movimento: TI é para profissionais!